“O sonho encheu a noite. Extravasou pro meu dia. Encheu minha vida e é dele que eu vou viver. Porque sonho não morre” (Adélia Prado)

21 de mai de 2012

VERMELHO



Sei por que voltas
De tempos em tempos
Como uma pétala que se solta
Trazida pelo vento.

Porque sou a única para quem podes voltar
Depois que todos os abandonos te esgotaram.

E sempre voltas...

Serão as amarras soltas
De um tempo tão distraído
Que te lança para o verbo
Que conjugamos por caminhar?

Será loucura, será o quê?

Pois trago na alma
O sorriso vadio da esperança,
De quem ficou
No silêncio dos covardes.

Sou brisa prometida,
Tempestade anunciada,
Mas nunca provada.

Sou a ira da partida
Quando o momento
É de chegada...

E mesmo assim, sempre voltas...

Voltas em busca do vermelho
Que é vivo,
Mas morre
No sangue (per)vertido?

Talvez.

Voltas pelo dito,
Redito,
Não dito,
Relido,
Reescrito,
Maldito,
Mas voltas.

E eu espero.

Como Dulcinéia
Debruçada à janela,
Perdida em pensamentos
Galopando em ventos.

Sentindo o sal.
Das lágrimas...

- sueli gallacci

10 comentários:

  1. Lindo, amiga.
    Assim são as lágrimas, sempre voltam.
    Mas que sejam de alegria...
    Beijinho e boa semana...

    ResponderExcluir
  2. Ecaaa! Não sabia que tinha uma amiga poeta!
    Adorei esta parte...

    'Pois trago na alma
    O sorriso vadio da esperança,
    De quem ficou
    No silêncio dos covardes.'

    Su, você anda por muitas praias: cronista, artista, poeta... o que mais vem por aí? Você publicou outros dois poemas que achei lindos, já lhe falei por e-mail. Mas a poesia tem algo diferente: não precisamos falar muito dela, pois poesia é mais 'sentir', assemelha-se mais com uma obra de arte: ou você gosta, ou não gosta; ela lhe cativa ou não. E de saída. Ou entrada, como queira rsrs.
    Parabéns, amiga! Mandou bem...
    beijão.

    ResponderExcluir
  3. OI SUELI!
    LINDOS E PROFUNDOS TEUS VERSOS.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  4. Aí eu choro!

    Sueli, que espetáculo mais lindo essa trajetória vertida em uma lágrima triste!

    Eu também volto, mas alegre e saltitante todas as vezes e tiver algo tão belo assim para meu deleite.

    Viva a poesia! Viva a Sueli!

    Abraço grande. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  5. .



    Eu escrevia o texto de ho-
    je no meu blog quando uma
    lágrima fujona me escapou
    dos olhos e a vista escure-
    ceu. Talvez não fosse para
    tanto, mas só você saberá
    dizer...

    Um beijão,

    Ah, estou seguindo o seu
    blog. Siga o meu também,
    vai.

    Palhaço Poeta






    .

    ResponderExcluir
  6. OI SUELI!
    PASSANDO PARA TE DESEJAR UMA BOA SEMANA.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  7. Poema tão lindo quanto intrigante,daqueles que se lê mil vezes e sempre se descobre algo novo,como o Pequeno Príncipe...
    Estou sem palavras no momento.
    Beijos!
    Izildinha

    ResponderExcluir
  8. Quando um poema nos remete aos próprios anseios, quando nos identificamos nele, queremos voltar a ler e reler novamente, sem dúvidas este é um grande poema. Fiquei assim de queixo caído Sueli, grande poetisa.
    "Serão as amarras soltas
    De um tempo tão distraído
    Que te lança para o verbo
    Que conjugamos por caminhar?" Maravilhas

    Um grande abraço minha amiga. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, amiga, que delícia esse comentário!! Brigadão, viu!

      Vc que é uma GRANDE poetisa! Tem estilo, o pensamento flui com delicadeza e muita sensibilidade! Fiquei apaixonada pelos seus poemas. Um mega parabéns pra vc!!

      Bjoss linda amiga.

      Excluir

Sejam bem vindos! Sintam-se a vontade. Comentem, digam o que pensam. Podem rodar a baiana, só não cutuquem a onça com vara curta, ok?... rs