“O sonho encheu a noite. Extravasou pro meu dia. Encheu minha vida e é dele que eu vou viver. Porque sonho não morre” (Adélia Prado)

23 de jan de 2013

Trizes





Ah, eu estou farta dos meus quases!

Quase fui,
Quase fiquei,
Quase vivi,
Quase não sei.

Quase não é nada!
É desejo reprimido.

Não tem fundo,
Nem começo,
É água rasa
Do pranto arrependido.

Quase é dia
De dar adeus à noite,
Que aposenta os sonhos
Longe do lençol.

Quase é madrugada fora do eixo.
Abortada.
Sem sintonia
Com o nascer do sol.

Quase é hora errante.
Sem domicilio dentro do tempo
Do envelhecer
Repentinamente.

Quase é um livro aberto
Que escapa das mãos.
E, sem romance,
Adormecido
Encontra o chão.

Quase é inventário
Das saudades acumuladas,
De verdades inventadas,
Um padecer em vão.

Quase é atitude tetraplégica
Que não vingou.

É dor estéril 
Sem sementes para o plantio.

Quase é boca que adivinha o beijo
Que nunca existiu...



-sueli gallacci

12 comentários:

  1. "Quase não é nada é desejo reprimido"

    Quase fiz balé, quase estudei artes.
    Este texto se encaixou perfeito no centro das minhas frustrações. Mas estou também farta de lamentos,pelo que deixei de fazer, pois na verdade ainda posso, mesmo com a idade que tenho.Não posso fazer balé, mas posso fazer dança de salão, talvez não consiga ainda cursar a faculdade de artes mas posso fazer outros cursos para adquirir um pouco mais de técnica. Esse quase andou me perturbando, e virando um fantasma durante muitos anos, mas só eu sou a culpada disto, se tivesse reagido, sempre encontraria tempo. Esqueci de mim para viver a vida me jogando de cabeça nos problemas dos outros, tentando ser heroína, e agora estou vivendo um "quase tudo que sonhei" e fica um vazio imenso.
    Parabéns Sueli, a sua desenvoltura para escrever
    é sensacional, a palavra certa na hora certa, surpreende. E as frases para elucidar os quase foram magníficas.Perfeito.
    "Quase é um livro aberto que escapa das mãos. E, sem romance, adormecido, encontra o chão". Quanta poesia!!!
    Ficou lindo.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lourdinha, o que vc escreveu é o roteiro presente na história de todos nós. Quem consegue olhar para o passado e não questionar os quases? Todos nós temos algo de que abrimos mão, seja pela família, pela falta de oportunidade, ou de coragem. Eu também tive muitos quases. Alguns não cabem mais um resgate, outros o momento já passou, não se encaixam mais na minha realidade.

      Vc foi sábia ao afirmar que ainda temos muitas opções de realizações pessoais, apesar da idade (Cruuuzes! Até me arrepia!! rsrs) Que o comodismo e a desculpinha da idade não transforme nossos sonhos em mais quases. É o que quero pra mim, e é o que te desejo.

      Obrigada pelas suas palavras, adoro seus comentários!!! Ando desmotivada a blogar por falta de tempo, mas quando recebo um comentário assim... sinto que estou perdendo algo de muito valor!

      Um grande bjo, amiga! E vamu-que-vamu correr atrás dos nossos sonhos!!

      Excluir
  2. Quase ficava aqui a reler...e tentar entrar...Quase..
    Bem vinda..
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um bjo pra vc tbm Andrade!
      Na fique no quase, entre aqui sempre! Isso me deixa muito feliz.

      Excluir
  3. Se você não me escrevesse, há pouco, quase que não leria essa beleza, hoje!

    Pra ver, SU, são tantos os quase, os trizes que o melhor da vida não acontece. Acho que vale sempre arriscar, dar uma chacoalhada nos neurônios, na preguiça, na comodidade e partir para novos desafios. É um filme que perdemos; uma saída que deixamos escapar; um curso que quase perdemos... Uma amizade que não emplacou por falta de iniciativa. Ficou ali, por um triz. E que poderia render bons frutos. A insistência é a alma do negócio.

    Se nós duas não fôssemos parecidas, 'quase' que o mundo perderia nossas trocas! kkk

    E será que preciso dizer que adorei esse poema? Tá bom, digo, vá lá que depois me arrependa. Tenho muito carinho e admiração por você! E 'quase' que não digo! Bem que não teria importância nenhuma, pois você sabe há muito tempo o quanto dou corda em você para que escreva. Você é muito preguiçosa, poderia ser menos.

    Meu carinho. E já vai seguindo um e-mail.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vc me chama, assim, de preguiçosa em ‘rede nacional’?? kkkkkkkkk Isso já está 'quase' virando caso de processo por calúnia e difamação kkkkkkkkkkkkk

      Não tenho preguiça de escrever, apenas não posto tudo que escrevo. Há escritos que devem ficar guardados na ‘gaveta dos quases’. O bom disso é que posso resgatá-los a qualquer momento...

      É verdade, precisamos de umas chacoalhadas de vez em quando. Acordar. Não adiar mais nada. Mas, nem sempre deixamos de realizar coisas por preguiça ou comodismo. Às vezes é apenas escolha mesmo, lúcida e consciente. Que só vamos avaliar depois, numa outra época, em outro contexto da vida.

      Entretanto, no meu poema falo especificamente das incertezas e dúvidas que temos ao longo da vida em momentos de decisões. Poetizei a minha, a nossa falta de ousadia.

      Que bom que gostou do poema. Ufa! Que alívio!! 'Quase' achei que não passaria pela crítica!!! rsrs

      Tenho muito carinho e admiração por vc tbm! 'Quase' não digo, mas 'quase' sempre demonstro rsrs.

      Excluir
  4. Sueli, perdoe-me o conciso das palavras, mas o que posso falar sobre o seu poema senão: - Magnífico!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Néia!

      Concisos ou não, seus comentários sempre serão importantes pra mim. Eles me enchem de alegria! Conheço sua sensibilidade, tens o sentir à flor da pele.

      Bjo grande amiga!

      Excluir
  5. Sueli,

    Não sei se comento primeiro as fotos que estampam este blog, ou se me desmancho em elogios ao seu poema... se bem que não há muito o que dizer: maravilhoso, magnífico, excelente, beirando a perfeição! Eu disse beirando, não me chame de exagerada... rsrsrs Já tinha lido quando você postou, mas não tinha comentado. Adorei, de verdade!

    Agora vamos falar daquelas fotos de vovó babona: vovó?! Pois não parece, passaria por mamãe daquela fofura, tão linda e radiante você está!!! E Rafael é um encanto mesmo, todo sorridente, merece ser muito mimado e beijado!!!

    Sempre bom vir aqui, onde leio escritos de qualidade, seja na poesia, seja na crônica: sou sua fã! Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Suzy, você é meu doce de manjar branco... Melhor, você é meu pudim de leite condensado, meu doce predileto! rsrs.

      Tudo de bom receber esse elogio perto de me tornar sexy... sexyxagenária rsrs. Minha autoestima subiu como um foguete rsrs.

      Só você mesma pra fazer minha alma cantar e bailar...
      Como dizia meu neto Felipe ‘te amo mais maior de grande’ rsrs!

      Bjobjobjo!!

      Excluir
  6. Sueli!

    Como você consegue se dividir em tantas? O melhor, tantas maravilhosas, uma sempre superando a outra Sueli!...

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nooooosaaaaaa!!! Receber um elogio desses, ai, tremi nas bases, fiquei sem palavras...

      Obrigada, amiga (Dalva?), vc me deixa muito feliz, vaidosa, flutuante... rsrs.

      Lindo, amiga, adorei!!! Beijo imenso!

      Excluir

Sejam bem vindos! Sintam-se a vontade. Comentem, digam o que pensam. Podem rodar a baiana, só não cutuquem a onça com vara curta, ok?... rs