“O sonho encheu a noite. Extravasou pro meu dia. Encheu minha vida e é dele que eu vou viver. Porque sonho não morre” (Adélia Prado)

30 de abr de 2013

DOTES CULINÁRIOS





Para que não restem dúvidas, devo esclarecer que sou boa cozinheira. Aliás, eu sou ótima. Pensando bem, eu beiro a perfeição. Menos, Maria Sueli, menos.

Não me interessa o título de melhor chef de cuisine internationale do universo, mas ganhar o rótulo de cozinheira meia-boca só por que não consigo fazer 2 coisinhas na cozinha, não admito. Acho injustiça com alguém que já fez até pratos requintadíssimos, como, por exemplo, strogonoff com batata palha – o legítimo!!! Flambado com conhaque e tudo! Isso pra citar apenas uma das minhas especialidades. Ressalto ainda, que já consigo virar panquecas jogando pro alto sem que elas colem no teto. Isso mesmo, elas voltam  íntegras e lindinhas para a frigideira. Esse foi um grande sonho realizado!

Eu não cozinho no dia a dia, somente nos finais de semana: justamente para não enjoar, perder o gosto pela coisa e acabar ‘errando na mão’. Daí minha frustração quando o troço desanda.

Capítulo bolo: Não cresce, o desgraçado. Nem com promessa de subir de joelhos até a cabeça do Cristo Redentor. Compacta como se tivesse um vácuo dentro dele. Já mudei a marca do fermento, da farinha, do leite e do ovo: troquei de galinha branca por galinha preta. Testei a carijó. Por ultimo, a caipira. Não teve jeito, continuou empastado e grudento. Disseram-me que era por que eu abria o forno enquanto estava assando - o sensível e temperamental ‘indivíduo’ sofria choque térmico.

Fui radical: vedei todas as frestas da porta com fita crepe suficiente para não passar nenhuma molécula de oxigênio.

CRESCEU!!!! QUE EMOÇÃO!!!!!... Maaaasss... foi só eu retirá-lo do forno, o bicho afundou!! Formou um buraco no centro tão fundo, mas tão fundo, que me lembrou as olheiras da Gretchen...

Outra pessoa me disse que para não acontecer isso, eu tinha que deixar o infeliz no forno até esfriar totalmente. Foi o que fiz. Desliguei o fogo e fui fazer outra coisa. Tinha que ocupar a minha mente e esquecer o dito cujo. E esqueci mesmo. Tirei-o de lá uma semana depois direto pro o lixo.

Mas quem disse que eu preciso fazer bolo?... Realmente não preciso. Tem ‘ilhares’ de confeitarias que vendem bolos deliciosos. Tem uma ótima aqui perto da minha casa. Sempre passo lá e compro o de fubá com erva-doce, meu preferido. O problema é que eles colocam pouca erva-doce e eu gosto de muuuuita. O suficiente para eu pensar que estou mastigando areia...

Capítulo bife: Enrola, o maldito. Fecha como uma concha. Na hora de comer, tenho a impressão que estou mastigando uma sandália Havaianas com gosto de isopor. Já tentei com tempero, sem tempero, muito óleo, pouco óleo, sem óleo, com azeite, manteiga, frigideira fina, grossa, de alumínio, de ferro, teflon, na chapa, Ufa! Cansei! Tô desistindo da vida...

Só não vou desistir por que persistência é meu nome, determinação é minha marca, meu lema, minha bandeira. Estou casada há quase 4 décadas, e desde então, venho tentando o bife perfeito.Já tentei fazer o tal de panela de pressão e o resultado foi a panela que foi pro lixo. Era presente de casamento de incalculável valor sentimental. Essas coisas machucam a gente...

Já me rebaixei ao ponto de pedir a receita para a melhor fazedora de bife do planeta: minha mãe.

Fiz pior: vali-me de uma caderneta, uma caneta e montei um passo a passo bem detalhado. Grudei nela desde a hora que ela entrou no açougue até depositar na mesa aquela travessa fumegante e suculenta. Anotei tudo, inclusive cronometrei o tempo que levou para aquecer a frigideira.  

Depois de estudar a caderneta por vários dias consecutivos, resolvi colocar em prática todo meu conhecimento teórico. Fui a uma casa de carnes (a melhor da região) e comprei 5 quilos de contrafilé (queria esbanjar meus novos predicados). Contrafilé é meu bife predileto - feito pelos outros, naturalmente. Entretanto, algo me dizia que seria diferente dessa vez. Otimismo acima de tudo.

Com entusiasmo fiz trabalhos de bastidores: limpei, bati, temperei, tudo de véspera e no maior capricho. Embalei em papel filme e levei à geladeira. Mal pude dormir naquela noite, tamanha era a expectativa...

No dia seguinte, embora um pouco nervosa (normal, né, gente), meti a mão na massa com a cara e a coragem. Estendi o primeiro na frigideira com o mesmo cuidado de quem cobre um bebê. ATENÇÃO!!! Preparando-se para enrolar em 3...2...1...

Larguei o amaldiçoado queimando e fui ligar pra minha mãe:

- Mãaaaaaaaaae, o bife enrolou – disse chorosa.
- Você fez os picotes na gordurinha ao redor?
- Gordurinha?!... Que gordurinha? Que picotes???

Imediatamente me lembrei do açougueiro perguntando a ela: ‘vai querer que eu faça os picotes?’

Eu havia entendido ‘pacotes’.

18 comentários:

  1. Não lhe conhecia o jeito para a comédia de Ficção.
    Quando se é artista, dá-se um jeito em tudo..'né.'
    Quero eu dizer....que a história era tudo Ficção?.
    Só pode...recuso-me acreditar noutra versão...
    Sou seu fã....é por isso....
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, meu querido amigo Andrade!!... Vc é muito gentil, mas não é ficção, não! Pelo menos não totalmente... Claro que fiz uma ‘releitura’ dos fatos (totalmente verídicos) até para demonstrar o tamanho da minha indignação... A verdade nua e crua é que NÃO consigo fazer bifes e bolos rsrs. Deve ser alguma praga que me rogaram... ou, a maldição da letra ‘B’ rsrs.

      Grande abraço! Obrigada pelo seu carinho! É sempre uma honra tê-lo aqui!

      Excluir
  2. (Registre-se: há uns bons minutos controlo o riso pra escrever!!!)

    Sueli...kkkkkkkkkk...as olheiras da Gretchen foi algo de inesquecível nesta tua crônica deliciosa - e não pq o tema é comida!!
    Vc se supera, mulher... fui lendo enquanto sentia uma emergência em conhecer o final de cada aventura na cozinha...não perco uma palavra, e eu releio por puro prazer, confesso!!

    * O bolo esquecido no forno indo direto pro lixo foi outra gargalhada gostosa!!

    Eu já fui cozinheira de plantão, hj cozinho na intimidade do lar....rsrs....para receber amigos e família, e adoro...e tenho receitas antigas, daquelas ancestrais, que me atrevi a aprender e me tornar uma boa pilota no fogão...mas isso me custa aqueles chamados inocentes: Sóóóóóó vc consegue dar o ponto da massa...faz pra mim?...ou... o pulo do gato vc não ensina, então...faz pra nós no próximo domingo??...e por aí vai... mas fiquei aqui pensando num jeito de minimizar teus "traumas" com o B...rsrsrrs

    Posso repetir que A-RO-REEEEI????

    Beijo...desiste nãooooo!!!

    ** O que é este bebê no computador?!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denise, delíiiiicia de comentário!! Li 3 vezes, me fartei!! kkkkkkkkk Brigadúuuuuuuuuu

      Exageros a parte, eu tbm sou a cozinheira oficial da família. Em casa e no sítio, na casa da minha mãe, ou de outro familiar... Tenho uma colaboração valiosa: o maridex adora cozinhar e nos ‘cotovelamos’ na cozinha rsrs. Eu simplesmente A-DO-RO cozinhar para os filhos e Cia Ltda!! rsrs. É uma satisfação enorme quando ouço a frase: ‘nenhum fica igual ao seu’. Fico toda vaidosa rsrs.

      Mas bife e bolo não sai, amiga... O título fica mesmo com a minha mama rsrs


      Bjão pra vc!! Ter vc aqui é como degustar a melhor iguaria!!

      ** O bebê no computador é pra mostrar que o futuro já chegou...É agora!! rsrs.

      +bjoss

      Excluir
  3. Sueli, você deu o 'tom' ao meu feriado de meio de semana, no qual eu deveria me manifestar, mas FUGI da cozinha!!! rsrsrrsrs Senti-me até um tantinho culpada... mas eu supero! rsrsrs

    Ainda tenho a esperança de, com o passar de muitos e muitos anos, vir a desenvolver esse amor pela cozinha... Mas não tenho, nem de longe, teu empenho para a coisa, nunca pensei em grudar numa cozinheira de mão cheia até destrinchar os segredos jamais contados, que podem no máximo ser observados pela parte interessada.

    Mas das suas aventuras com o Bolo e o Bife eu ri muito, definitivamente a maldição da letra B! rsrsrs Para tirar a dúvidas, basta analisar como você se sai com as Batatas! Dá certo? Então não desiste, vai atrás que logo você estará na Ana Maria Braga dando sua receitinha do Bolo da Vovó do Rafael e do Felipe! rsrsrsrs

    AMEI, estou rindo ainda, você é o máximo! Beijão, ótimo feriado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Até que enfim uma luz!! NÃO É MALDIÇÃO DA LETRA B!!! hehehehe!! Faço perfeitamente bem Batatas Sautée... e Barbecue Sauce, Béchamel, Bisque, Blanc mange, Bouchée, Bouillon, Bouquet Garni, Bread rusks, Bresaola... tudo isso e muito mais com a letra B!!

      Viu só como o Dr Google é fenomenal?? Qualquer uma pode ser boa cozinheira kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Suzy, eu adoro cozinhar, e é por isso 99,9% dos pratos que faço agradam a todos... Só não é 100% por causa dos 2 ‘rebeldes sem causa’ que não consigo dominar rsrs. Já disse pro meu marido que se nada der certo, vou ser cozinheira profissional kkkkkkkk.

      Uma ressalva: gosto especialmente de resgatar receitas antigas, que ficaram esquecidas no tempo. Minhas avós são minhas maiores inspirações!

      Amiga, vc meu animou muito com essa história da Namariabraga!! Vou retomar hoje mesmo o 'laboratório-bolo' kkkkkkkk

      Ai,ai,ai, tô adorando tudo isso!! A gente não ganha nada, mas se diverte a valer rsrs.

      Teus comentários que são o máximo! Brigadão!!!

      Bjobjo! Espetaculoso feriado pra vcs! Bjos pros lindos BBs!!

      Excluir
    2. Não sei se dou mais risada com seus textos ou com suas respostas para meus comentários! rsrrsrsrsrs

      Eu sabia que ao mencionar a "Namariabraga" despertaria a inspiração que te faltava, tô até te imaginando com os olhinhos brilhando enquanto passa por baixo da mesa falando hummmmmmmmm kkkkkkkkkkkkk

      Vai lá, menina, quero te assistir dando receita de bolo e bife! kkkkkkkk

      Beijão ;)

      Excluir
    3. Eu vou sim! Vc vai me assistir lá pagando esse mico! O que a gente não faz pelos amigos tsc, tsc, tsc... Vou passar por debaixo da mesa e ainda ‘levar um lero’ com o louro José kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  4. kkkkkkkkkk, primeiro fiquei muito curiosa pelas olheiras da Gretchen! Tenho de ver no youtube, fiquei curiosa! Bem que o forte dela não são as olheiras: era...era! Agora não é mais.
    Quanto ao seu problema com bolos e bifes, vou te enviar uma receitinha que faço há 200 anos. Dá certo o tal bolo. E os bifes enrolados... não enrola!
    Credo... nunca pensei em encontrar uma colega tão parecida, tão complicada, tão horrorosa como eu! Bem que agora desisti de tudo, de vez em quando me atiro num troço bem simplesinho. Minha última investida culinária me deixou com alguns problemas de ordem mental e existencial. Não dou pro negócio!

    Adorei, não resisti em ler amanhã. Olha só que horas são!!!
    Beijo grande, dona Benta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é amiga, ‘aquilo’ não é mais! A gravidade é uma desgraceira, só restou mesmo as olheiras da pobre kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Amanhã bem cedo, tipo 6 da manhã, estarei te cobrando as receitas!! Kkkkkkkkk

      Não desisto, não, miga! Não posso morrer sem fazer o bife e o bolo perfeitos!! Agora é questão de lavar a minha honra kkkkkkkkk

      Não dá pra coisa, mas dá aquela esnobada, vai me humilhar mandando a receitinha, né... Tá bom! E ainda deixa registrado aqui kkkkkkkkkkk

      *Não preciso olhar as horas: o dono da pensão fica me informando de 1 em 1 minuto lá do quarto kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      BeijãoZão procê!!! Dona Benta é sofredor, hein??? Kkkkkkkkkkk

      *** Esse brogui tá a verdadeira casa da sogra kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  5. De repente você está andando pela blogosfera e encontra uma pessoa que consegue fazer O strognoff com batata palha e tudo mais, mas não dá conta do maldito bife! hahahahahaha
    Só não rolei de rir porque estou no trabalho. Tive que me controlar. Mas me pegaram dando uma bela gargalhada. E lógico que compartilhei seu texto com meu colega de trabalho. E ele riu também!

    Nooooossa, como me identifiquei com isso tudo. A primeira vez que fiz bolo que não fosse de caixinha (sim, de vez em quando eu apelo para as artificialidades da vida), o bolo ficou tão molhado que dava pra fazer uma sopa de bolo. Na outra o bolo ficou muito sem leite. Quase fiz bolo em pó...
    Que coisa mais difícil de acertar!

    Já sei que se eu for visita, não serei recebido com bife e bolo. Mas aceito o strogonoff numa boa! E de sobremesa? Qual a especialidade?
    hahahahahaha

    Adorei, adorei!
    Beijo procê! (Quando ouço um 'procê' só vem uma pessoa na minha mente: A Sra. Gallacci!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sueli, desculpa aí, mas não dá pra ler você e Fellipe comentando sem MORRER DE RIR!!! O que eu amo nos seus textos é que eles continuam, e no mesmo tom comédia que você deu lá desde o princípio...

      E já que me meti aqui, sopa de bolo é de chorar de rir! kkkkk Vou como tem alguém piorzinho do que você no assunto bolos, minha amiga! kkkkk E te falo em fazer o legítimo 'puxadinho' nesse Fellipe, até pra sobremesa já se escalou! kkkkkk

      É, o blogue está mesmo a casa da sogra... e a culpa é sua, que mata a gente de dar risada!!! kkkkkkkk Beijão de novo (e desculpa o pitaco... não resisti... é a maratona, sabe né... kkkk)

      Excluir
    2. Ah, amiga, pode dar pitacos à vontade... Casa de sogra é assim, portas sempre abertas, todo mundo vai ‘se achegando’, se estatelando no sofá e ficando...rsrsrsrs

      Excluir
    3. Fê!

      Sopa de bolo? Bolo em pó? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Vc me superou!!! Assim não vale!!!

      A sobremesa será pavê! Pavê, oiá bem e desistir de comer kkkkkkkkkkkkkkk
      Brincadeirinha! Nos doces até que sou boa, é só o bolo mesmo que me sacaneia. Voilà, ninguém é perfeito...

      Vc falou em bolo de caixinha, lembrei-me do maridex: ele é PHD nas tais caixinhas e ainda me esnoba kkkkkkkkkkkk

      Quando vc me visitar... Tem um restaurante ótimo aqui perto, podemos marcar lá? rsrs

      Bjão procê!! Maravilha de comment!! Ri litros dos seus bolos kkkkkkkkk Manda bjo pro seu mano aê!

      Excluir
  6. Oi Sueli,
    Que bom vir aqui e descontrair um pouco, este seu bom humor é contagiante.
    Eu até que mando bem quando o assunto é bife, todos aqui em casa gostam muito. Quanto aos bolos só perco no caso de ter que confeitar, aí sim tenho dificuldades.Ah! este bolo de fubá com erva doce... Hum com um cafezinho, nossa, só de pensar deu água na boca. Ah! me lembrei agora, teve uma época, logo no começo do meu casamento, que quando fazia bolo, também acontecia de ficar solado, mas logo descobri que não estava usando a forma certa para a receita, ou melhor, a
    quantidade de massa era insuficiente para o tamanho da forma.Depois que descobri, peguei prática e pronto.
    Bem, adorei a crônica, dei muitas risadas, pena não ter nenhuma dica para te ajudar.
    Bjs. minha amiga, fica com Deus.
















    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lourdinha, vc já me deu a dica da forma! Costumava usar forma grande achando que o bicho ia crescer, ficar ‘viçoso’ kkkkkkkkkkkkk Tolo engano!

      Que bom que gostou! Minhas tragédias tem que servir pelo menos pra divertir os amigos, né... rsrs.

      Bjão procê! Bom demais ter vc aqui

      Excluir
  7. Sueli quando comecei a ler, pensei; meu DEUS! Tão talentosa, ainda quer ser perfeita na cozinha??? Deixa isso para os pobres cristãos, kkkkkkkkkkkkkk
    Olha assim que casei também não acertava a mão em quase nada, nos bolos realmente era pior, e no terceiro filho ainda dependia de minha sogra para fazer os benditos de aniversários. Um dia ela me deixou na mão tive que aprender na marra. Quantos os bifes apanhei muito também, não sei se vai te ajudar, mais o segredo é fritar um a um.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own, amiga, obrigada pela dica, mas bife anda banido daqui de casa rsrs. Pelo menos por enquanto...

      Obrigada pelo elogio!! Meus bolos não crescem, mas a minha autoestima cresceu muuuuuuuito!! rsrs.

      Bjo grande pra vc!! Adoro ver vc aqui!!

      Excluir

Sejam bem vindos! Sintam-se a vontade. Comentem, digam o que pensam. Podem rodar a baiana, só não cutuquem a onça com vara curta, ok?... rs